Uma dose, por favor

“Qual o seu maior desejo?” “A paz mundial”. Qual o seu maior desejo? O mundo perfeito. Simples assim. Todos queremos um mundo perfeito, um mundo em paz, um mundo que tudo ocorra em nosso favor, um mundo como planejamos. Infelizmente, isso não é possível.

Perfeição, segundo o dicionário: s.f. Qualidade do que é perfeito em seu gênero; ausência de quaisquer defeitos. E o que seriam esses defeitos? Depende do ponto de vista de cada um. Seria possível um mundo perfeito, se todos tivéssemos a mesma ideia do que é perfeito, do que não tem defeitos.

Se eu, que estou narrando esse texto, e você, lendo esse texto, pensássemos exatamente igual, será que seria bom? Atingiríamos a perfeição? Até que ponto ela seria boa?

A perfeição acaba sendo a própria imperfeição. Se todos tivéssemos a mesma ideia do perfeito, todos gostaríamos das mesmas coisas. Das mesmas músicas, mesmas comidas, mesma literatura. Não haveria variedade. Haveria uma sociedade padrão.

A falta da perfeição que acaba tornando as coisas perfeitas. A divergência de gostos. Diversas formas de pensar. Os opostos que se atraem. Os opostos que nem são tão opostos.

Às vezes penso que há muito radicalismo e muita forma de pensamento – essas são as imperfeições que não tornam a imperfeição perfeita. As divergências muito divergentes. A falta de limites. Nesse caso já voltamos para a paz mundial. Ela seria possível, se não tivessem ocorrido as duas maiores divergências mundiais – no caso, as duas grandes guerras. No caso, mas no real caso, as armas. E, no caso, mas no real caso do caso, a violência. Uma imperfeição desnecessária. Uma imperfeição que sim atrapalha todo o processo de perfeição.

No fundo, todos queremos a perfeição completa. No fundo, a perfeição completa não existe. No fundo, não seríamos nada sem as imperfeições. No fundo, as imperfeições são muitas vezes boas. Mas no fundo mesmo, queremos que tudo dê certo.

E dar certo é tentar atingir uma perfeição. E para isso iremos passar por imperfeições. É inevitável. É imperfeito não passar por essas imperfeições. Aos poucos, podemos lidar com os fatos da vida. Aos poucos, podemos lidar que nunca iremos atingir a perfeição perfeita. Aos poucos, vamos vencendo as imperfeições imperfeitas. Aos poucos, atingimos o máximo que conseguimos da perfeição perfeita.

Aos poucos, passaremos por uma grande quantidade de imperfeições. E poderemos atingir algum tipo de perfeição. Algum tipo de perfeição que nos satisfaça. Enquanto esse momento não chega, me resta pedir uma dose de imperfeição, por favor.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s